Pesquisar

Historial

Ficha Técnica

 

O Casamento de Fígaro
de Pierre Caron de Beaumarchais

 

Tradução Luis Miguel Cintra com a colaboração de José Manuel Mendes para as letras das canções

Encenação Luis Miguel Cintra

Assistente de encenação Nuno Lopes

Cenário e figurinos Cristina Reis

Assistentes para o cenário e figurinos Linda Gomes Teixeira e Luís Miguel Santos

Director de montagem Jorge Esteves

Desenho de luzes Daniel Worm d'Assumpção

Montagem eléctrica Pedro Marques com Rui Simão

Operação de luz Pedro Marques

Montagem João Paulo Araújo e Abel Fernando

Guarda-roupa Emília Lima

Costureiras Conceição Santos, Julieta Carvalho, Maria Barradas, Piedade Duarte e Teresa Cavaca

Conservação do guarda-roupa Alice Madeira

Música João Madureira

Acompanhamento vocal dos actores Luís Madureira

Direcção de cena Márcia Breia

Contra-regras Neil Beck e Rui Pragana

Cartaz Cristina Reis

Secretária da Companhia Amália Barriga

Interpretação

O Conde de Alma Viva, grande Corregedor de Andaluzia José Airosa

A Condessa, sua mulher Rita Loureiro

Fígaro, criado de quarto do Conde e porteiro do castelo Ricardo Aibéo

Suzana, primeira camareira da Condessa e noiva de Fígaro Rita Durão

Marcelina, governanta Márcia Breia

António, jardineiro do palácio, tio de Suzana e pai de Fininha Almeno Gonçalves

Fininha, filha de António Solange F .

Querubim; primeiro pagem do Conde Duarte Guimarães

Bártolo, médico de Sevilha Luís Lima Barreto

Basílio, mestre de cravo da Condessa Luís Lucas

Don Guzman Bridalento, presidente do Tribunal José Manuel Mendes

Duas-mãos, escrivão, secretário de Don Guzman Luis Miguel Cintra ou Nuno Lopes

Um Meirinho Pedro Lacerda

Furta-Sol,jovem pastor Nuno Lopes

Uma jovem pastora Sofia Marques

Pedrilho, moço de cavalariça do Conde Pedro Lacerda

Criados, camponesas, camponeses Ana Lúcia Palminha, Nelson Cabral e Tónan Quito

Músicos (guitarristas) Carlos Gutkin e Vasco Abranches ou Ana Sofia Sequeira e Femando Guiomar

 

Texto No espectáculo representa-se a versão integral da peça sem os cortes que tradicionalmente se fazem, nomeadamente a grande tirada de Marcelina no fim do terceiro acto em defesa dos direitos das mulheres.

 

Tradução Para a tradução foram grandes auxiliares de trabalho: um esboço de tradução da peça que em 1971 me foi oferecido por Jorge Silva MeIo e a tradução de Valentina Trigo de Sousa publicada nos livros de bolso da Europa-América em 1976. Luis Miguel Cintra

 

Música A música do espectáculo foi composta a partir da partitura de algumas das canções esboçada por Beaumarchais numa edição rara de O CASAMENTO DE FÍGARO publicada em Lyon em 1785 e, para a Romança do Querubim, da canção tradicional Malbrough s'en va-t-en guerre, de acordo também com a indicação do autor.

 

Colaboração de Anne Consigny, Maria do Carmo Vasconcellos; Rita Penedo; Teatro Nacional D. Maria II; Teatro Nacional S. Carlos e Comédie Française

 

Lisboa: Teatro do Bairro Alto. Estreia: 06/05/1999

40 representações

Companhia subsidiada pelo Ministério da Cultura

Apoio de RDP Antena 1, Rádio Seixal e C.M.Lisboa




Política de privacidade