Pesquisar

Programação

Programação 2016

  

 

Começámos com a co-produção com o Teatro Nacional de São Carlos da ópera Diálogos das Carmelitas de Poulenc/Bernanos, com encenação de Luis Miguel Cintra e cenários e figurinos de Cristina Reis, continuando um projecto de tantos trabalhos em comum com o maestro João Paulo Santos (O Urso/Façade, The English Cat, A História do Soldado). A construção dos cenários e dos figurinos foi executado no Teatro da Cornucópia. No seguimento desta apresentação no São Carlos faremos um ciclo de sessões de trabalho comentado mostrando a forma de “fazer”. A peça de teatro de George Bernanos escrita em 1949 (levada à cena por Amélia Rey Colaço e Robles Monteiro em 1957) desdobrada num guião de cinema, é em 1957 adaptada por Francis Poulenc como libreto de uma ópera. Esta obra tão admirável quanto difícil levou-nos a programar três sessões de trabalho comentadas. Expor ao público como complemento da apresentação no São Carlos do trabalho de preparação que o espectador nunca vê, comparando o que seria o trabalho do actor se fizéssemos o trabalho do teatro declamado com o que foi o trabalho de ensaio do maestro e do encenador com os cantores na ópera.

 

O Teatro da Cornucópia desde muito cedo se dedicou à leitura de poesia, e dos seus elencos muitos têm sido os actores que tomaram especial gosto em dizê-la. Com o pretexto dos Diálogos das Carmelitas e dos poetas Carmelitas Sta. Teresa de Ávila e S. João da Cruz, dedicaremos algumas sessões públicas à leitura de poesia.

 

Ao longo do ano haverá outras sessões de leitura de poesia.

 

Também a cedência do espaço a jovens criadores ligados à Companhia é outra vertente da nossa actividade. Com consciência de que é difícil o aparecimento de novas personalidades artísticas se não existirem condições, um campo livre mais do que modelos a que tenham que sujeitar-se, muitos grupos aqui fizeram as suas primeiras encenações, muitos aqui foram acolhidos. Será o caso de um novo grupo de jovens actores que connosco têm trabalhado nos últimos anos, que se chama o Teatro da Cidade, e que escolheu como seu primeiro trabalho Os Justos de Albert Camus.

 

Programada está também uma nova co-produção com o São Luiz Teatro Municipal com o texto Música de Frank Wedekind.

 

Publicaremos também o segundo volume do livro com registos de todos os espectáculos do Teatro da Cornucópia de 2002 até 2016.